Governo de Minas promoverá agricultura familiar nos Jogos Olímpicos Rio 2016

 

ProdutoArtesanal3

Circuitos turísticos e agricultura familiar serão apresentados ao público da Casa Brasil

A presença de Minas Gerais nos Jogos Olímpicos Rio 2016 ganha novo capítulo a partir da próxima terça-feira (16), data de lançamento da participação do Estado no projeto “Casa Brasil”, espaço multiuso localizado na região portuária do Rio, recentemente revitalizada, para promoção da imagem do país e atração de investimentos, durante o evento internacional.

Segundo a Secretaria de Estado de Turismo (Setur), a ideia é oferecer aos cerca de 10 mil turistas que circulam por dia na Casa Brasil, localizado no Pier Mauá, um pouco da cultura e da gastronomia mineira. A ação do Governo de Minas Gerais é coordenada pela Setur e conta com o apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda).

Riqueza a gastronomia

Além da apresentação dos circuitos turísticos, outro destaque do evento é a participação da agricultura familiar.

Para demonstrar a riqueza da gastronomia mineira, o Governo de Minas promoverá três empreendimentos produtores de cachaça, doces e mel. Os agricultores familiares possuem todos os certificados de habilitação sanitária, expertise em feiras e contam com o apoio estatal, por meio de vários projetos.

“Será uma oportunidade para a promoção dos produtos de cooperativas e agroindústrias familiares apoiadas pela nossa Secretaria. A comida mineira é um dos nosso principais atrativos e a agricultura familiar contribui muito para esse reconhecimento internacional”, avalia o secretário de Estado de Desenvolvimento Agrário, Professor Neivaldo.

Visibilidade

A Coopemapi participará pela primeira vez de uma exposição internacional. “É como se fosse a realização de um sonho. Este apoio é fundamental para dar visibilidade ao nosso produto, o mel de aroeira, árvore nativa da região”, conta o diretor técnico da cooperativa, Adriano Pereira Santos. Recentemente constituída em Bocaíuva (Norte de Minas) com auxílio da Seda, a cooperativa produz cerca de 210 toneladas de mel por ano.

Já a agricultora familiar Ana Maria Martins, da agroindústria familiar Rancho Paraíso (Itaguara), não esconde a ansiedade para participar do projeto. “O Governo mais uma vez valoriza o nosso trabalho, ao nos dar oportunidade para mostrar nossos produtos ao mundo todo. Vamos expor compotas de frutas e doce de leite”, disse.

Para o representante da Coopercachaça, Gilmar Pereira de Freitas, a participação na Casa Brasil é muito positiva para a cooperativa. “Será bom para divulgar o trabalho dos 110 produtores de cachaça, em quatro municípios da região de Salinas”, afirma Freitas.