Rede Fhemig adquire produtos da agricultura familiar de Espera Feliz

cafe feijao

A rede de hospitais da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) adquiriu mais de R$ 200.000,00 em pó de café torrado e moído e feijão preto da Cooperativa de Produção da Agricultura Familiar Solidária de Espera Feliz (Coofeliz).

Esta ação faz parte da Política Estadual de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA Familiar), que determina que no mínimo 30% de gêneros alimentícios da administração estadual, sejam comprados diretamente da Agricultura Familiar.

O investimento da Fhemig com alimentação de servidores e usuários da rede é extensa e inclui, entre outros itens, café, feijão, queijo, canjiquinha, legumes frescos, frutas in natura, verduras e hortaliças, todos com potencial de aquisição da agricultura familiar. Apenas com café, açúcar, feijão e polpas de frutas serão desembolsados cerca de R$ 1 milhão. A rede ainda espera adquirir 100% de produtos da agricultura familiar conforme a política se desenvolva.

“Com a implantação da Política de Aquisição de Alimentos pela Agricultura familiar, a Rede Fhemig tem a intenção de comprar alimentos saudáveis diretamente do agricultor, incentivando dessa forma a cultura local e regional, aumentando a geração de renda na Agricultura Familiar” afirma a nutricionista da Administração Central da Fhemig, Priscila Yunes Marques.

Com esta chamada pública, a Coofeliz arrecadará aproximadamente R$ 208.500,00 com o fornecimento de 12.419,517 kg de pó de café torrado e moído e de 293 kg de feijão preto à fundação.

De acordo com a presidente da Coofeliz, Fernanda Henrique Estevão, participar dessa chamada pública é fundamental no sentido de aumentar a própria venda da cooperativa. Isso é importante principalmente nesta época, pelo fato de que a demanda pelos produtos só começa em fevereiro.

“A ação vai nos trazer grande entusiasmo para aumentar nossa produção e demonstra o apoio que o Governo tem dado ao cooperativismo da agricultura familiar, tendo em vista que as cooperativas da agricultura familiar são público prioritário no fornecimento dos alimentos no âmbito da PAAFamiliar”, aponta Fernanda.

De acordo com o superintendente de Acesso a Mercados e a Comercialização da Seda, Lucas Scarascia, o Governo sinalizou, ao publicar o decreto regulamentador da política logo no início do mandato, o apoio que será dado à agricultura familiar e, consequentemente, à melhoria dos alimentos consumidos pela rede pública estadual.

“Sabíamos que a implementação da política seria gradativa, à medida que alguns processos internos devam ser alterados. A Fundação persistiu na tentativa e conseguiu fechar um contrato de substancial valor que certamente fomentará a pujante agricultura familiar de Minas Gerais e servirá de referência para que outros órgãos públicos possam iniciar suas aquisições diretamente destes agricultores” reitera Scarascia.

Participação no PAA Familiar

Para participar das chamadas públicas, é exigido que o agricultor tenha inscrição no Cadastro Geral de Fornecedores (Cagef) e também possua o Documento de Aptidão ao Pronaf (DAP). Podem participar pessoas físicas e cooperativas. No caso do agricultor individual, o limite de venda por ano é de R$ 20 mil. Se a comercialização for por cooperativa, o valor é multiplicado pelo número de associados.